domingo, 15 de março de 2020

O QUE PODE FAZER UM CLUBE SE TORNAR GRANDE

A GRANDEZA DE UM CLUBE DE FUTEBOL


POSIÇÃO CLUBES
1 Palmeiras SP 16,640 -
2 Flamengo RJ 15,428 1212
3 Grêmio RS 15,160 268
4 Cruzeiro MG 15,118 42
5 Santos SP 13,944 1,174
6 Athletico PR 13,466 478
7 Atlético MG 13,096 370
8 Corinthians SP 13,084 12
9 Internacional RS 12,204 880
10 Bahia BA 10,719 1,485
11 São Paulo SP 10,526 193
12 Chapecoense SC 10,142 384
13 Fluminense RJ 9,938 204
14 Botafogo RJ 9,640 298
15 Vasco da Gama RJ 9,242 398
16 Sport PE 7,237 2,005
17 Vitória BA 7,045 192
18 América MG 6,798 247
19 Ceará CE 6,751 47
20 Goiás GO 6,703 48

VAMOS NOS BASEAR NA TABELA ACIMA
RANKING OFICIAL DE CLUBES DA CBF PARA 2020
DE 16/12/2019 


Podemos enumerar algumas situações: Títulos internacionais, canpeonatos nacionais, campeonatos regionais, numero de sócio torcedores, tamanho da torcida, numero de jogadores cedidos à seleção,etc etc etc...
Com certeza todos os ítens acima mencionados podem ser considerados para mensurarmos o tamanho mas se analisarmos profundamente a questão chegaremos a conclusão de que esses fatores são secundários. Senão vejamos.
No ranking acima estão computados todas as competições realizadas nos últimos cinco anos.
- Títulos internacionais. - Campeonatos nacionais - Campeonatos regionais, estão aí incluídos

Os 20 clubes com mais sócios:
1-Flamengo – 139 mil
2-Vasco – 127 mil
3-Internacional – 126,4 mil
4-Atlético-MG -110 mil
5-Grêmio – 91 mil
6-Corinthians – 81 mil
7-Palmeiras – 60,4*
8-Bahia – 44 mil
9-Sport – 38 mil
10-São Paulo – 31,1 mil
11-Santos – 30 mil
12-Fortaleza – 28,3 mil
13-Athletico-PR – 28 mil**
14-Cruzeiro – 26 mil
15-Botafogo – 21,4 mil
16-Coritiba – 20 mil
17-Ceará – 17 mil
18-Fluminense – 14,9 mil
19-Náutico – 13,5 mil
20-Vitória – 13,2 mil

Fonte: site Onefootball

Como podemos observar pelas duas tabelas a diferença nas colocações é muito grande.
  A quantidade de sócios torcedores está ligada diretamente ao momento do time: se vai bem tem-se um aumento, se vai mal tem-se uma queda. Isso é uma gangorra. É bem verdade que existem clubes que independentemente da situação atual do futebol tem um numero de sócio torcedor estabilizado.
Mas se levarmos em consideração apenas esses aspectos veremos que de ano para ano a colocação muda. Então o que seria um fator determinante para que um clube pudesse ser considerado grande e figurasse sempre em altas colocações?
Para mim que trabalhei durante muitos anos no Botafogo F.R. em todos os departamentos exceto no futebol e atravessei várias administrações humildemente posso concluir que uma administração segura, correta, que valorize a história do clube, todos os esportes (e não somente o futebol), seus funcionários que são a mola mestre que fazem o clube realmente funcionar são os fatores preponderantes para tal. Mas o que vemos de maneira geral nos clubes? A prioridade é tão e exclusivamente o futebol. O futebol vai bem, o clube vai bem. O futebol vai mal, o clube vai mal. Um clube bem estruturado economica e socialmente consegue superar os momentos difíceis mas são raríssimos os exemplos de clubes que assim o fazem. Tomemos por exemplo um clube que consegue fechar um grande patrocínio. Qual é o pensamento principal? Sanear as contas e seguir com os pés no chão ou partir para montar "o time dos sonhos"? Em 90 % dos clubes a segunda opção. Contratam-se jogadores por altas cifras, salários idem, técnicos  e quando por algum motivo o time vai mal manda-se o tecnico embora, dispensa-se jogadores sem pagar as devidas indenizações. Resultado: os profissionais demitidos recorrem a justiça para receberem o que de direito e na maioria dos casos só vem a acontecer anos depois, com outra diretoria, e com juros e correção monetária o valor é enorme. Isso é a situação comum na maioria dos clubes e é uma bola de neve.  Se repararmos nas notícias nos jornais, tv quando um determinado clube está com salários atrasados e de repente entra algum dinheiro então os primeiros a terem seus salários acertados são os jogadores e comissão técnica. Os funcionários que são a parte de menor poder aquisitivo e quem realmente "segura" o clube vão sendo relegados. Outro fator preponderante para que os clubes não se tornem grandes. Não existe até hoje legislação que puna presidentes e diretoria por possíveis prejuizos causados ao clube. Tomemos por exemplo o clube fictício BRANCO. Façamos uma elação. O presidente A que assumiu o clube BRANCO encontrou uma dívida de R$ 10.000,00. Terminado seu mandato o presidente B assume com uma dívida de R$ 30.000,00. Mais um mandato termina e o presidente C assume com uma dívida de R$ 60.000,00. O clube endivida-se a cada dia, nada acontece com os presidentes A B e suas diretorias e a história está aí todos os dias nos jornais e mídias esportivas. Alguem acha que uma empresa que ficasse no "vermelho" como se diz, por 1 ano, 2 anos, 3 anos não iria a falência?  Isso não acontece com os clubes de futebol. Dirigentes amadores, torcedores, desprovidos de senso de responsabilidade, inconsequentes pois o clube não é deles é como se fosse uma empresa que tem acionistas e nos clubes tem os sócios que vem seu patrimônio ser dilapidado ano após ano. Para aqueles que discordarem dessa minha humilde opinião vejam o noticiário somente dos grandes clubes do Rio de Janeiro. Sedes caindo aos pedaços com fornecimento de água suspenso, piscinas fechadas e/ou interditadas por falta de manutenção; ginásios com infiltrações danificando o piso, banheiros interditados; fiação elétrica a beira de um colapso; muitos não tem nem alvará de funcionamento e eu poderia expor dezenas de itens mais que refletem o abandono e o descaso para com o patrimônio dos clubes. 
O grande patrimônio que os clubes tem e que é totalmente relegado, esquecido, abandonado são seus funcionários, humildes, trabalhadores, muitos com uma vida inteira dedicada ao clube que morrem ser terem um mínimo de reconhecimento pela sua dedicação, zêlo, sacrifício, amor e paixão pelo seu clube.
Se fizermos ums pesquisa junto a Justiça do Trabalho iremos verificar a extensa lista que vários clubes tem de credores que em muitos casos estão esperando há anos para terem seus direitos pagos.
Por tudo isso creio sinceramente que a solução será transformar os clubes em empresas, para atrair investidores, que investiriam dinheiro como uma aplicação na bolsa de valores, para ressarcimento futuro com juros. Os dirigentes sendo obrigados a publicar balanços, dar transparência a administração e serem responsabilizados civil e criminalmente por seus atos se comprovadamente danosos ao clube. 

Fonte: Angelo Antonio Seraphini

Nenhum comentário:

Postar um comentário